Pernambuco contabilizou, até esta terça-feira (28), 1.601 profissionais de saúde com a Covid-19, causada pelo novo coronavírus. Uma pessoa, a cada grupo de três que fazem o teste e o resultado dá positivo, se infectou por atuar na linha de frente do combate à doença, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem relatam dificuldades e desafios que têm enfrentado na pandemia.

“Há 20 dias, fui diagnosticada com Covid-19, tive que me afastar e o medo tomou conta de mim. Medo de morrer, de deixar meus filhos pequenos e o maior medo: de ter transmitido para eles”, disse a enfermeira Rebeca Carvalho, que se recuperou e voltou ao trabalho no último fim de semana de abril.

Ela contou estar preocupada com os efeitos da pandemia na rede pública de saúde. “O cenário de 20 dias atrás e o de agora são completamente diferentes. Nós estamos com as unidades lotadas e não temos para onde levar os pacientes. Eu trabalho no Serviço de Unidade de Atendimento Móvel e as UPAs [Unidades de Pronto-Atendimento], mas o Samu não tem para onde levar os pacientes”, afirmou.

Eduardo Pereira trabalha em dois hospitais e também testou positivo para a Covid-19. “Eu só tive sintomas leves e não precisei ficar internado. Passei 14 dias em casa, de quarentena. O sentimento que fica é o de medo. Diante de uma formação que nós temos, eu acho que nós estamos aqui para enfrentar o que tiver de enfrentar”, declarou.

Os profissionais de saúde têm prioridade nos testes, principalmente nas unidades onde trabalham. No sábado (25), o governo do estado abriu dois pontos avançados de testagem: um no bairro da Boa Vista e outro no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Os exames são agendados com autorização das chefias das unidades, tanto para os profissionais como para parentes.

“Tem coleta suficiente. Dá para tranquilizar, mas temos que lembrar que as pessoas têm de estar sintomáticas”, afirmou a secretária executiva de Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, Ricarda Samara.

O médico Luan de Almeida se curou da Covid-19, mas não sabe como contraiu o novo coronavírus. “No ambiente de trabalho, a gente mantinha todos os cuidados de usar máscara, luvas, capote, tudo o que é recomendado. Mas a gente sabe que o vírus circula na comunidade”, disse.