Em sete dias, o número de profissionais que atuam nos serviços ligados à saúde em Pernambuco infectados pelo novo coronavírus aumentou em 3.142. Agora, são 7.513 pessoas da área que tiveram diagnóstico positivo para a Covid-19. O número de testes também teve um acréscimo significativo.

Até o dia 20 de maio, haviam sido feitos 7.983. Nesta quarta-feira (27), esse acumulado passou para 14.776, com 6.834 diagnósticos negativos e outros 250 inconclusivos, devendo essas pessoas serem submetidas a novo protocolo. Há ainda 179 amostras biológicas aguardando processamento. São encaminhados para testagem os profissionais que manifestam sintomas de síndromes gripais.

A maior demanda desses exames está concentrada nos centros de testagem destinados aos profissionais de saúde. Desde o dia 18 de abril, quando foram iniciados os trabalhos nesses pontos, até esta quarta (27), 5.321 profissionais passaram por exames. Desses, 1.851 foram do tipo RT-PCR, com coleta de material via swab nasal e orofaríngeo, que identifica a presença do vírus nos primeiros dias de sintomas da Covid-19, e outros 3.470 do tipo rápido, que investiga a presença de anticorpos após o desaparecimento dos sintomas.

Os centros de testagem estão localizados no Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos de Pernambuco (Cefospe), na Boa Vista; na sede da SES, no Bongi, e no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda. Esses pontos atendem, além dos profissionais de Saúde, os familiares que convivem com eles.

SES-PE
Dos 7.513 profissionais da saúde positivos para o novo coronavírus em Pernambuco, 3.273 estão na rede do Estado, o que corresponde a 43,56% do total. Esse índice diminuiu em relação à última semana, quando quase 62% dos infectados eram servidores da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE). Desses 3.273, 1.414 (43,20%) estão clinicamente recuperados e já retornaram às atividades. Outros 47 profissionais (1.3%) não resistiram à Covid-19 – um acréscimo de 16 mortes em uma semana – e mais de 1.800 são casos ativos.

Para suprir a alta demanda de substituição de profissionais, o Governo do Estado anunciou, nesta quarta, a convocação de 359 enfermeiros aprovados em seleção simplificadas, dos quais 269 são enfermeiros assistenciais, que reforçarão as unidades hospitalares, 90 são enfermeiros reguladores, que ajudarão na Central de Regulação de Leitos do Estado. Com esse novo chamado, o Estado já soma mais de seis mil profissionais contratados para atuar nas ações de enfrentamento à Covid-19.

A enfermagem é a área que mais registra casos de infecção entre os servidores do Estado. São 1.720 positivos entre enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, além de atendentes. Os profissionais da área administrativa (653) e médicos (486) também têm números elevados de casos. O cenário se repete em relação aos óbitos. São 10 vítimas fatais entre técnicos e auxiliares de enfermagem e atendentes de unidades, outras 10 entre auxiliares de serviços administrativos e de saúde, quatro médicos e três enfermeiros. Outras áreas também já registraram perda, a exemplo da fisioterapia, biomedicina, recepção, entre outros.

Dos infectados na rede estadual de Saúde, 70,3% são mulheres e 29,7%, homens. As faixas etárias com mais registros são de 30 a 39 anos (29,9%), 40 a 49 anos (28,4%) e 50 a 59 anos (23,1%).

Acolhe SES
A central de teleatendimento Acolhe SES, voltada para auxiliar emocionalmente profissionais da Secretaria e familiares dos servidores vítimas da Covid-19, registrou 109 atendimentos entre os dias 30 de abril e 26 de maio. Dos atendidos, 77% (84) foram profissionais da SES, 17,4% (19) servidores de outras secretarias e da rede privada e 5,5% (6) familiares de profissionais. Mais uma vez, os atuantes na enfermagem representam a maior parcela: 56% dos atendimentos foram a auxiliares e técnicos de enfermagem e 11,9% a enfermeiros.