Após o anúncio da restrição de atividades econômicas em Caruaru e Bezerros entre a sexta-feira (26) e o dia 5 de julho, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, explicou, nesta quarta-feira (24), que o número de doentes graves em Caruaru é maior do que em todas as cidades do Sertão do estado. Com esse cenário, a medida busca reduzir a transmissão da Covid-19 no Agreste.

“Hoje, Caruaru é responsável pela geração de doentes graves maior do que todo o Sertão de Pernambuco. Estamos falando de uma população de 400 mil pessoas em Caruaru e de 1,8 milhão em todo o Sertão. Isso exige uma medida de maior compreensão da população para que a gente passe por esse momento difícil”, disse Longo.

Caruaru e Bezerros já estavam entre as 85 cidades da Zona da Mata e do Agreste que não haviam avançado no Plano de Convivência. Com o rigor ainda maior das restrições, o comércio atacadista, que havia sido liberado nessas duas cidades, passa a funcionar somente no sistema de entregas.

“Só deve funcionar aquilo que for essencial. Vamos fazer uma campanha para reforçar os cuidados com a higiene, o isolamento social. As pessoas devem seguir essa orientação, circular de forma muito restrita, apenas para atividades realmente essenciais”, explicou o secretário estadual de Saúde.

Até esta quarta-feira (24), Caruaru somava 143 leitos dedicados à Covid-19, sendo 74 de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). “Estamos com processos em andamento para abrir hospitais de campanha em Serra Talhada e Petrolina, para que a população possa ser atendida mais perto de casa”, afirmou Longo.

Além da abertura de leitos, o secretário estadual de Saúde explicou que também é necessário controlar o aumento do número de casos da Covid-19.

“Mais importante do que ter leitos é controlar a doença, evitar o surgimento de casos graves. É por isso que a gente precisa conter a disseminação do vírus nesse momento, fazer com que menos doentes precisem de assistência ventilatória mecânica em UTI”, declarou o secretário.
Mesmo com a restrição de atividades econômicas em duas cidades do Agreste, André Longo reforçou o alerta sobre a pandemia provocada pelo novo coronavírus em todo o estado.

“É preciso que essa mensagem do cuidado, da proteção, ainda esteja presente para toda a população pernambucana. Precisamos exercer o cuidado sanitário no nosso dia a dia para evitar que a doença saia de controle e a gente precise adotar medidas extremas em todo o estado”, disse.